grenada prickly bay
.,  CARIBE,  VIAGEM

Gerador quebrado e todo mundo doente em Prickly Bay!

Há quanto tempo sem escrever, falido gerador

Desafios na vida vêm e vão. As coisas simples têm o poder de se transformar em coisas muito importantes, dependendo de onde você está. O gerador estava quebrado há duas semanas e, portanto, carregar um computador tornou-se um desafio. Nós produzimos a maior parte da nossa eletricidade pelo gerador eólico ou painel solar mas não temos nenhum inversor para 110v ou 220v para carregar um computador o que significa ligar o gerador para carregar ou receber uma carga de 5% a cada 15 minutos em uma tomada de 12v  que desliga sozinha a  liga a cada 15 minutos. Esta tomada 12v é também a única  que temos para um ventilador e carregamento de celulares e câmeras, então é muito difícil conseguir um tempinho para o computador. Mas isto é apenas os  eletrônicos.

Quando todo mundo fica doente

A parte ruim começa quando você vê toda a sua família doente. Ficar doente é parte da nossa existência e temos que lidar com isso, mas  hoje em dia saúde, ou melhor doença significa dinheiro. Esta é uma indústria como outra qualquer e tem seus lados escuros e não são poucos. Não usamos  medicina convencional há mais de dois anos, o que significa nenhum medicamento alopático, nem mesmo para uma dor de cabeça. Fazer isso no Brasil foi relativamente fácil.  Mas aqui, em uma pequena ilha onde vivem menos de cem mil pessoas é completamente diferente. Trouxemos algumas homeopatias do Brasil, mas certamente não para esse caso.

Mas o que aconteceu? 

Juliano teve uma picada de inseto há 4 semanas. Era literalmente nada nos primeiros dias, mas depois de uma semana tornou-se escuro, roxo e inchado. As ervas que trouxemos de Trinidad e Tobago funcionaram muito bem, mas elas estavam quase a acabando. Alguns amigos nos deram algo novo, chamado MMS mas tomou  um dia e no outro estávamos em outra ancoragem em  uma pequena ilha e não tomou. Tivemos que voltar da ilha e tentar usar o MMS novamente para ver se ajudava, mas era tarde demais. Sistema linfático já estava inchado, dor de cabeça e o hematoma estava assustador. Decidimos que era hora de ir para o hospital.  Os médicos tiveram que abrir a ferida, cortar e tirar toda inflamação, tomar antibiótico na veia e voltar lá a cada dois  dias. Eles também coletaram amostra para levar para exame de laboratório para ver o que causou isso. Duas semanas depois aparece o resultado de laboratório… uma bactéria contagiosa.

Tarde demais

Todos nós pegamos também. O Vicente ficou com  rosto e olho  todo inchado por conta de uma ferida no nariz,  eu peguei no cotovelo e Martina, começou no couro cabeludo e espalhou por todo o lado. Tínhamos algumas ervas mas não ia ser o suficiente para todos. Decidimos dar para o Vicente e em poucos dias ele estava melhorando. No entanto o da Martina só piorava. Encontramos um herbalista na ilha e decidimos ir  lá. As ervas  que ele deu não eram tão concentradas como as que tínhamos de Trinidad.. eu melhorei, mas a Martinica  piorou. Tivemos que voltar e o médico nos disse que era melhor dar antibiótico…Fiquei muito brava e muito frustrada mas não tivemos opção. Agora é aguardar a pequena melhorar e rezar para que a imunidade não caia e tenha outro quadro.

  Para aqueles preocupados com os furacões,  nenhum furacões por aqui felizmente, nós só  estamos nos recuperando desta onda doença que chegou até nós, de um gerador que não funciona e claro, sem internet.

As fotos abaixo são da nossa nova ancoragem aqui na Bahia de Prickly, em Grenada.

 Baía de espinhosa de Granada

Baía de espinhosa de Granada

Baía de espinhosa de Granada

Baía de espinhosa de Granada

Baía de espinhosa de Granada

Baía de espinhosa de Granada

Baía de espinhosa de Granada

Please follow and like us:
Liked it? Take a second to support LifeSomewhere on Patreon!

4 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *